Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

A bomba um dia rebenta...mesmo que quase um quarto de século depois

17.09.14publicado por Gato Pardo

Sempre fui apologista do diálogo, desde que construtivo.

Mas também sou conhecedor do quão destrutiva uma frase pode ser dentro do pior contexto possível.

Hoje assisti ao desmoronar de 24 anos em 6 palavras. Foi como assistir a um daqueles eventos de dominós gigantes mas com uma pequena diferença. Em vez do empurrar de uma peça foi ver 10kg de C4 no meio das peças de dominó e o premir do respectivo detonador. Não foi uma imagem bonita.

Todos temos consciência do que dizemos. TODOS! Não me venham com psicologias de mercearia. Sabe-se exactamente o que se diz, o alvo que se pretende atingir e embora nem sempre se saiba a forma exacta de o fazer, mandar o barro à parede 300 vezes costuma ser a política mais comum. Provavelmente uma delas, há de acertar no alvo em cheio.

Depois? Bem, depois lida-se com as consequências. Ah, as consequências. Pois, isso já é outra história. Nem toda a gente que tem o dedo rápido no gatilho tem também arcaboiço para ouvir a posteriori algo de volta.

A solução mais comum é fazer de conta que nada se passou. Que tudo está na paz dos deuses. Não, meus caros.

O que assisti hoje, deu-me que pensar.

Há poucas coisas piores que a ingratidão. As pessoas esquecem-se com rapidez de tudo aquilo que as pessoas fazem de forma desinteressada. Até ao dia em que são alvo de um brutal reality check e precisam de alguém. Aí, sentem na pele a glamorosa sensação que é ser-se invisível aos olhos daqueles que outrora lhes estenderam a mão.

O ser humano é algo ingénuo por natureza. Mas não é parvo para sempre. E ninguém gosta de ser feito de parvo, mesmo passados 24 anos.